Efeito Estufa – É proibido soltar pum!

Recentemente o jornal O Globo publicou um artigo que tinha o título “Gases de dinos aqueceram a Terra”. Esse artigo indicava que, segundo cientistas britânicos, a liberação de gás metano pelos rebanhos de dinossauros provocou mudanças climáticas na época. Segundo artigo publicado na revista “Current Biology”, a atividade intestinal desses gigantes, teve papel chave ao aquecimento pelo qual nosso planeta passou na era mesozóica, no fim do período jurássico. O gás metano contribui para o efeito estufa porque absorve parte da radiação infravermelha emitida pelo sol e
a mantém presa na atmosfera.
O atual rebanho bovino mundial já está sendo acusado de ser um potente emissor desses gases. Tudo isso me levou a pensar: Recentemente a população mundial atingiu a marca de sete bilhões de pessoas. Já pensaram essa quantidade de gente soltando puns sem controle? Haja atmosfera para aguentar o bombardeio! Nesse momento, fontes do nosso governo, ligados ao meio ambiente já devem estar preocupados com o destino dos gases emitidos pelos nossos mais de 200 milhões de habitantes. Logicamente tentando lucrar com isso! Embora o Imposto Sobre a Flatulência Desenfreada (ISFD), mais conhecido como o Imposto sobre o pum, não deva ser de todo descartado, algumas medidas emergenciais já devem estar sendo cogitadas. Uma delas, divulgadas através de Medida Provisória, é obrigar cada cidadão brasileiro a usar um dispositivo, colocado não me pergunte aonde, semelhante a uma lombada eletrônica, cujo principal motivo é aplicar multas. Cada um teria o direito a soltar, por exemplo, uns 60 puns por mês. Caso esse número fosse ultrapassado o criminoso emissor estaria sujeito à pesada multa e sete pontos no seu CPF. Os reincidentes seriam condenados há passarem um mês presos em um presídio de segurança máxima, em uma cela 2X2, onde seriam obrigados a absorver os seus nefastos gases.

Outra medida a ser adotada seria a crimilização de alimentos como, por exemplo: batata doce, repolho, couve flor, etc. Esses produtos seriam banidos das prateleiras das lojas e seriam consideradas drogas pesadas. Ambientalistas dariam sugestões de aproveitamento desses gases para reduzir o impacto ambiental com campanhas, “Vamos reciclar o PUM!”, “Peido engarrafado meio ambiente assegurado!” Então, ficaria decidida, a criação de uma estatal e um órgão regulador para fiscalizar. Seriam criados vários cargos regiamente remunerados entregues a base aliada. Seria criada a PEIDOBRÁS! A oposição reagiria inconformada com essas medidas, que seriam consideradas um retrocesso na História. Depois da promulgação no século XIX da Lei do Ventre Livre, o Estado estava propondo a Lei do Ventre Preso.É esperar para ver!

Economista, Analista em Planejamento e Gestão Pública, pós graduado em Planejamento
Econômico, atual Tesoureiro da PMMP. E-mail: p a u l o e d g a r m e l o @ g m a i l . c o m